As redes sociais podem transformar o seu negócio

A popularidade das redes sociais cresce a cada dia, também incentivada pelo lançamento constante de plataformas ou novas ferramentas dentro das redes que já existem. Essas novidades são usadas para entretenimento, mas também são grandes meios de publicidade e podem transformar o marketing e a publicidade do seu negócio.

O Smart Insights publicou uma matéria com números já de 2020 que mostram o quanto as pessoas consomem as redes diariamente e quais são as ‘queridinhas’ entre os usuários – o levantamento foi realizado pelo Global WebIndex. A pesquisa aponta:

  • Cerca de 60% da população mundial faz uso das plataformas digitais e a tendência é que esse número cresça muito mais até o fim do ano de 2020;
  • Usuários de mídia social passam em média 2 horas e 24 minutos por dia em redes, em uma média de oito redes sociais e aplicativos de mensagens;
  • Há cinco anos, o TikTok não existia, e agora está entre as 10 redes mais populares;
  • Mais de 4,5 bilhões de pessoas usavam a internet no início de 2020;
  • Os usuários ativos de mídia social ultrapassaram a marca de 3,8 bilhões, com esse número aumentando em mais de 9% (321 milhões de novos usuários) desde abril do ano passado.

“Não há mais como desprezá-las”

O marketing digital tem usado as redes sociais a seu favor e investido cada vez mais nas campanhas online e nos conteúdos para essas redes. Não significa que o retorno seja maior, mas é uma inovação em que todo negócio deve investir. “Esse é um investimento que precisa ser feito porque existe uma tendência de que cada vez mais as redes cresçam, não tem como desprezá-las. E não existe a questão de qual meio de comunicação traz mais retorno para empresa, não dá mais para a marca ficar de fora, ainda mais quando o objetivo é atingir um público mais jovem”, explica o publicitário Eduardo Razuk.

Entre as redes sociais com mais número de usuários ativos, a pesquisa aponta o Facebook, e, para Razuk, ela e o WhatsApp são as melhores redes para manter o contato direto com o público-alvo. “Eu acredito que esse crescimento esteja só no começo – inclusive, esse será um problema que o Facebook vai ter que enfrentar futuramente. Vai ter uma hora que eles não conseguirão dosar a quantidade e anúncios e isso pode virar um incômodo para os usuários. A cada dia, percebemos o aumento dos anúncios na rede, de forma que você assiste ou até mesmo compartilha. Além disso, eu acredito que o anúncio nessa plataforma pode se tornar mais caro”, afirma.

A pesquisa também apontou que as redes sociais são muito populares entre os jovens de 16 e 24 anos. Na opinião do publicitário, quando o público jovem se interessa por algum produto, eles conversam entre si nas redes sociais para analisar o que outros consumidores acharam; isso pode ser um fator decisivo nas compras. “O papel que as redes sociais desempenham hoje é praticamente o antigo ‘boca a boca’; além disso, as marcas precisam falar com o seu público por meio das redes”, comenta Razuk.

O publicitário também explica que não necessariamente é preciso usar um ‘filtro’ de marcas, produtos e serviços que só atendem ao público jovem, para serem veiculados nas plataformas. As redes sociais possibilitam que sejam feitas companhas direcionadas para qualquer pessoa; o certo é usar a linguagem adequada para o tipo de público que se deseja atingir.